Perigos de usar colírios em excesso

Dos olhos vermelhos ao glaucoma, a terapia mais utilizada pelos oftalmologistas para ajudar seus pacientes a superar doenças e incômodos nos olhos, depois dos óculos, são os colírios. Entretanto, muita gente se utiliza destes medicamentos indiscriminadamente e sem prescrição médica. Por isso, conheça os perigos de usar colírio em excesso.

Perigos de usar colírios em excesso - Óticas SolvangFonte: Imgkid.

O principal motivo do uso indiscriminado dos colírios é que muita gente nem os considera medicamentos e utiliza qualquer um sem indicação médica alguma. Mas saiba que a automedicação é a maior causa de internações por intoxicação no país, segundo o Ministério da Saúde. Até aqueles colírios mais comuns, aqueles que imitam o efeito de uma lágrima e são vendidos em qualquer farmácia sem prescrição médica, podem prejudicar os olhos ao mascarar os sintomas de doenças oculares graves.

A escolha de um colírio deve estar vinculada a uma consulta médica com o seu oftalmologista de confiança, pois somente ele é capaz de fazer um exame completo nos seus olhos e dizer se aquela vermelhidão diária é consequência de vista cansada, alergia ou algo mais grave. Se houver necessidade de receitar um colírio, ele irá lhe indicar o medicamento correto para sua doença. Às vezes, o problema pode estar vinculado a falta de uso de óculos corretivos ou escuros, não havendo necessidade de fazer uso contínuo do colírio.

Perigos de usar colírios em excesso - Óticas SolvangFonte: Cape Fear Eye.

Existem vários tipos de colírios, e eles não devem ser compartilhados: cada pessoa precisa ter o seu próprio, para evitar contaminações. Além disso, a utilização prolongada de um colírio desnecessário pode fazer com que o medicamento não faça o efeito esperado quando houver uma verdadeira necessidade. E fique atento a validade: depois de aberto o colírio, sua validade é de 30 dias, e deve ser descartado depois desse prazo, mesmo se não for completamente consumido.

Outros perigos de usar colírio em excesso vão de catarata precoce, intoxicações e processos alérgicos até problemas cardíacos, glaucoma e cegueira. Por isso, antes de sair usando qualquer colírio recomendado por um amigo ou no balcão da farmácia, é necessário procurar um oftalmologista, que é o único profissional habilitado para lhe indicar o tratamento correto do seu problema.